Razão Comunicação e Eventos

(48) 3626-8172

Dicas

Leia algumas dicas para melhorar a comunicação e a imagem da sua empresa.

DICAS DE CUMPRIMENTO NOS CONTATOS PESSOAIS

DICAS DE CUMPRIMENTO NOS CONTATOS PESSOAIS

15/05/2010

APERTO DE MÃOS

É o cumprimento mais tradicional e mais usado em todo o mundo, pelo menos na parte ocidental dele. Prática universal, é fundamental para a primeira impressão entre as pessoas. Apesar de importante geralmente não atende as expectativas e é mal feito.

Os 10 mandamentos do aperto de mãos correto:

1. O aperto de mãos é firme, mas sem exagero;
2. O aperto de mãos vem acompanhado de um olhar e um sorriso;
3. O aperto de mãos começa e termina de forma decisiva;
4. O aperto de mãos dura de 2 a 4 segundos e de 2 a 3 maneios de mão;
5. O aperto de mãos inicia após o término da apresentação do interlocutor e não durante a mesma;
6. Devemos estar sempre prontos a um aperto de mãos, mantendo a mão direita desocupada em ocasiões onde devemos cumprimentar os convivas;
7. O aperto de mãos será dado sempre com a mão direita;
8. O uso de anéis na mão direita pode machucar a si e ao interlocutor em um aperto de mãos;
9. O aperto de mãos não será usado para arrastar o interlocutor;
10. Enxugam-se as mãos antes do aperto de mãos.

Os 5 “desmandamentos”do aperto de mãos (o que não pode nesta ocasião):

1. Não se oferecem apenas as pontas dos dedos para um aperto de mãos;
2. O uso de cremes ou perfumes de fragrância muito forte nas mãos perfumará também as mãos do interlocutor;
3. Não se aperta a mão de pessoas que estejam à mesa em refeições. Neste caso um aceno é o suficiente;
4. Em caso de muita gente para apresentar, o apresentante apenas cita o nome de todos e o apresentado faz um breve aceno, dispensando assim o aperto das várias mãos;
5. Nunca se recusa um aperto de mãos;

Quando usar o aperto de mãos:

• Quando outra pessoa estender a mão;
• Ao ser apresentado a alguém;
• Ao cumprimentar o anfitrião ou se você for o anfitrião ao se dirigir aos convidados;
• Ao reencontrar um conhecido;
• Ao se despedir.

BEIJO E ABRAÇO

Todo contato físico que vai além do aperto de mãos sempre gera algum melindre e torna-se inadequado. Porém, quando existe já alguma intimidade entre os interlocutores é comum nos cumprimentos um abraço ou até mesmo o beijo (ou beijos) no rosto. Mas, quando se é apresentado a uma pessoa que não se conhecia até então, o adequado é apenas o aperto de mão.

Há casos, no entanto, em que a pessoa a quem se foi apresentado, indica querer ser abraçada ou beijada, Neste caso deve-se saber o que fazer:

O abraço deve ser rápido entrelaçando os braços em volta do interlocutor com um leve “tapinha” nas costas.

Na hora do abraço, tome cuidado com óculos, relógios, anéis e assessórios para não “enganchar” nos interlocutores.

Quando já há uma certa intimidade entre os convivas, no cumprimento entre homem e mulher ou entre mulheres é comum o beijo ou beijos no rosto. Uma grande dúvida sempre é quantos beijos são dados no interlocutor. Normalmente são dois beijos, um em cada lado do rosto. Na região sul do Brasil, assim como em outras do país, costuma-se usar três beijos nos cumprimentos.

A dúvida na quantidade de beijos acaba gerando algum desconforto na hora do cumprimento. Quem já não passou por aquela situação de ficar esperando o terceiro beijo e o outro não dar ou querer dar o terceiro e a outra pessoa sair?

MINHA DICA: Existe um paliativo que consegue nos salvar desta situação e que tem sido muito utilizado. É um beijo no rosto seguido de um abraço. Assim tem-se a outra pessoa sob controle, pois no mesmo momento em que se aplica um beijo em um dos lados do rosto, imediatamente puxa-se a pessoa para si envolvendo-a em um abraço carinhoso.

No Brasil o beijo de cumprimento entre homens era muito pouco utilizado, mas ultimamente não é um ato tão raro. Bastante diferente de outros países, principalmente os árabes, onde esta prática é comum e, em alguns casos, até preceito religioso.

O beijo de cumprimento entre homens ocorre mais freqüentemente entre pessoas famosas, artistas, parentes, membros de uma mesma instituição, etc. Pessoas comuns, no entanto, acabam invariavelmente também aderindo ao beijo no rosto. Se isso acontecer com você haja naturalmente. Ganhar um beijo de outro homem não vai diminuir sua masculinidade e nem a dele, além de tratar-se com certeza de uma profunda manifestação de carinho. Já, se for na boca, desconfie.

Beija-mão

Praticado por homens nas mulheres, é um gesto nobre, elegante e romântico, mas, no nosso século, infelizmente, caiu em desuso.

Foi muito utilizado na Europa até a Revolução Francesa (1789), em seguida suprimido, reaparecendo quando a irmã do Rei Louis XVI, Elizabeth, foi condenada ao cadafalso. Os nobres que a acompanharam até seu momento final, beijaram-lhe as mãos.

Se era bastante utilizado no passado, pode-se desconfiar o porquê. Numa época em que a maioria das mulheres usava luvas, quando as mãos estavam sem elas, por assim dizer desnudas, era um prazer ao cavalheiro beijá-las. Hoje, mesmo num primeiro contato já se beija no rosto. Ou, se for no Carnaval em Salvador, na boca.

Nos dias atuais ao beijar-se a mão de uma senhora, logo se ouve algo do tipo “como é cavalheiro este rapaz”. E com certeza a imagem que a senhora terá do cavalheiro que a beijou nas mãos, será das melhores.

Como ainda há quem pratique este cumprimento, é de bom tom seguir algumas regras. Note, porém, que estas regras regulavam o ato do beija mão há muito tempo. Algumas não são mais observadas. Mesmo assim, ei-las:
• No caso de bispos ou cardeais, beija-se o anel que se encontra na mão direita destas autoridades religiosas e não a mão propriamente dita;
• Não se beija mão de senhoras com luvas. Até porque as senhoras não as usam mais;
• Não se beija mão de jovens solteiras. Mulheres solteiras ainda existem mas esta regra não é mais tão rígida;
• Não se beija mão de alguém em ambientes abertos. Também não se pode levar essa tão a sério;
• O beijo na mão deve ser breve, sem ruído e o contato dos lábios com a mão o menor possível, sem molhar a mão a que se beija;
• A postura correta é fazer uma breve inclinação, levando, ao mesmo tempo, a mão da senhora até os lábios.
• Ao se beijar a mão, não se beija mais nada. Pelo menos durante o cumprimento.

Posição para cumprimentos:

Outra dúvida cruel que nos aflige habitualmente é quando levantar para cumprimentar outra pessoa. Algumas regras, para dirimir esta questão:

• O anfitrião deve levantar-se de onde está sempre que recebe um convidado ou cliente. Deve inclusive buscá-lo na porta e conduzi-lo ao seu assento;
• Homens levantam-se sempre quando alguém chega a mesa para cumprimentá-los;
• Mulheres só levantam quando se tratar de pessoas hierarquicamente superiores a elas, autoridades eclesiásticas ou idosos.

Outras formas de Cumprimento:

Os orientais utilizam duas formas tradicionais de cumprimento:
A reverência que é juntar os braços ao longo do corpo e abaixar levemente a cabeça e o tórax. É utilizada principalmente entre japoneses, chineses e coreanos;
A saudação com as duas mãos postas, em forma de oração, na altura do peito é usada habitualmente na Índia e na Tailândia.

MINHA DICA: Quando se recebe alguém, que se sabe, utiliza uma forma diferente da nossa de cumprimento, mesmo assim utiliza-se a nossa, o aperto de mão. O conviva deverá retribuir e em seguida deve cumprimentar da sua forma, no que a gente deve também retribuir.

Fonte: Ramires Linhares - Cerimonialista

Voltar


 

Desenvolvimento: Tecmedia Internet Design

Copyright 2010 - Todos os direitos reservados - Razão Comunicação e Eventos.